0800 333 3233

Sobre

O que é o projeto Alô Saúde Floripa

 

Alô Saúde Floripa é um serviço de orientação, atendimento pré-clínico e informação em saúde por telefone, videochamada ou chat.

 

Nossa equipe estará à disposição durante 24 horas por dia, 7 dias por semana.
As ligações são ilimitadas e gratuitas.

 

Os serviços ofertados são: informações em saúde, direcionamento do trajeto do usuário no sistema de saúde (orientação à pessoa se ela deve ir e quando é necessário procurar um Centro de Saúde, uma Unidade de Pronto Atendimento ou um Hospital), atendimento pré-clínico, agendamento de consultas.

 

Por exemplo: dúvidas sobre medicamentos,calendário vacinal e possíveis reações vacinais, surtos/epidemias (sarampo,coronavírus), dificuldades com amamentação, ou dúvidas sobre gravidez, entre outras.

 

Saúde de A a Z

  • A
  • B
  • C
  • D
  • E
  • F
  • G
  • H
  • I
  • J
  • K
  • L
  • M
  • N
  • O
  • P
  • Q
  • R
  • S
  • T
  • U
  • V
  • W
  • X
  • Y
  • Z
A

- Evitar viagens e qualquer tipo de aglomerações ( shopping, bares, restaurantes, academias, clubes, boates, igrejas etc);

- Sempre que possível, manter-se em casa e fazer atividades de trabalho à distância;

- A duração das receitas para medicamentos de uso contínuo foi prorrogada para 12 meses, para evitar que pacientes sem sintomas tenham que passar em consulta para continuar o tratamento da Asma/ DPOC;

- Caso seja necessária nova receita, entre em contato com sua equipe de saúde através do whatsapp, evitando ir presencialmente até a unidade;

- Profissionais de saúde com Asma/DPOC devem reforçar o uso adequado dos EPI e evitar à exposição à pessoas com sintomas respiratórios. Vale ressaltar que mesmo nesses situações o uso de EPIs de forma apropriada não colocaria o profissional em risco;

- O tratamento da asma deve ser mantido em vigência de infecções virais já que elas são causas frequentes de crises de asma;

- A OMS (Organização Mundial da Saúde) não recomenda o uso de corticoides (prednisona/ hidrocortisona /dexametasona) nos casos de pneumonia viral, EXCETO QUANDO OS PACIENTES TAMBEM APRESENTEM EXACERBAÇÃO POR ASMA E DPOC. Nessa situação, o risco-benefício do seu uso, deve ser considerado.

 

Referências:

1) Comissão de Asma/Sociedade Brasileira de Pneumologia. POSICIONAMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PNEUMOLOGIA E TISIOLOGIA SOBRE O MANUSEIO DA ASMA EM VIGÊNCIA DA PANDEMIA DE CORONAVÍRUS. Publicado 17/03/2020 Acessado 18/03/202

2) Mcintonsh K. Coronavírus disease 2019: COVID-19].Waltham (MA): UpToDate, Inc.; 2019 [citado em 2020 Mar 18.

C

 

São considerados contatos de pessoas com coronavírus as seguintes situações:

 -pessoa que teve contato frente a frente por 15 (quinze) minutos ou mais e a uma distância inferior a 2 (dois) metros;

- pessoa que esteve em um ambiente fechado (por exemplo, sala de aula, sala de reunião, sala de espera do hospital etc.) por 15 (quinze) minutos ou mais e a uma distância inferior a 2 (dois) metros;

- profissional de saúde ou outra pessoa que cuida diretamente de um caso COVID-19 ou trabalhadores de laboratório que manipulam amostras de um caso COVID-19 sem equipamento de proteção individual recomendado (EPI) ou com uma possível violação do EPI;

- passageiro de uma aeronave sentado no raio de dois assentos (em qualquer direção) de um caso confirmado de COVID-19, seus acompanhantes ou cuidadores e os tripulantes que trabalharam na seção da aeronave em que o caso estava sentado;

- uma pessoa que reside na mesma casa/ambiente. Devem ser considerados os residentes da mesma casa, colegas de dormitório, creche, alojamento, dentre outros.

Gestantes

- Existe a possibilidade de transmissão da mãe para o bebê durante a gravidez, mas ela é incomum. Acredita-se que maioria das infecções neonatais resulte da transmissão por via respiratória após a exposição a mãe ou outros cuidadores que estão infectados pelo SARS-CoV-2.

- Não existe ainda, nesse momento, aumento da chance de aborto ou parto pré-maturo correlacionado com COVID-19; 

- Profissionais de Saúde Gestantes, pelo risco de exposição, foram recomendadas a se afastar por 14 dias. 


Mulheres com COVID 19 e amamentando 
- Mulheres que estão amamentando e forem consideradas caso suspeito ou confirmado de COVID-19, devem ser orientadas sobre a ausência de estudos que comprovem ou excluam riscos.

Caso as mães desejem seguir amamentando, podem seguir as seguintes recomendações:

*  Lavar as mãos antes de tocar no bebê na hora da mamada;

*  Usar máscara facial durante a amamentação

- No caso da mãe não se sentir à vontade para amamentar diretamente a criança, ela poderá extrair o seu leite manualmente ou usar bombas de extração láctea (com higiene adequada) e um cuidador saudável poderá oferecer o leite ao bebê por copinho, xícara ou colher (desde que esse cuidador conheça a técnica correta de uso desses utensílios).

 


Referências: 

1) Duarte G, Quintana SM. Infecção pelo Coronavírus SARS-CoV-2 em obstetrícia. Enfrentando o desconhecido! Comissões Nacionais Especializadas da FEBRASGO em AssistênciaPré-Natal e Doenças Infecto-Contagiosas. Disponível em: https://www.febrasgo.org.br/pt/noticias/item/940-infeccao-pelo-coronavirus-sars-cov-2-em-obstetricia-enfrentando-o-desconhecido. Acessado em 17/3/2020

2) NHS Staff Council Statement on Covid-19 2020 [Available from: https://www.nhsemployers.org/-/media/Employers/Documents/Pay-and-reward/NHS-Staff-Council---Guidance-for-Covid-19-Feb-20.pdf?la=en&hash=70C909DA995280B9FAE4BF6AF291F4340890445C ] Acessado em 17/03/2020

3) UpToDate: Coronavirus disease 2019 (COVID-19): Pregnancy issues. Disponível em: <https://www.uptodate.com/contents/coronavirus-disease-2019-covid-19-pregnancy-issues?search=covid19&source=search_result&selectedTitle=10~150&usage_type=default&display_rank=9#H2193874470>. Acesso em 14 set 2020.

 


A máscara deve cobrir o nariz e a boca. Se alguma dessas partes estiver para fora, é provável que a máscara esteja pequena para o seu rosto. Durante o uso da máscara, deve-se evitar colocar a mão na própria máscara ou no rosto.

Recomenda-se para população geral:


- Não realizar viagens nesse momento, a menos que em caso de extrema necessidade;


- Manter distanciamento social, de preferência com isolamento domiciliar, por 7 dias para quem esteve em viagem internacional,  mesmo que não apresente sintomas;

 
- Observar surgimento de sintomas nos 14 dias após retorno; se sintomas respiratórios ligue AloSaúdeFloripa; 


- Para idosos e doentes crônicos além das restrições de viagens, deve-se evitar cinemas, shoppings, shows e locais com aglomeração.

O isolamento domiciliar aplica-se àqueles que são casos suspeitos ou confirmados de infecção por coronavírus.

- Ao ir para casa, durante todo o percurso, lembre-se de manter a máscara cobrindo o nariz e a boca;

- Permaneça em casa, de preferência restrito a um quarto e com o mínimo contato com outras pessoas, em especial com idosos. Não receba visitas. Escolha um quarto bem ventilado e fique a maior parte do tempo nesse quarto, saindo apenas em casos excepcionais;

- Somente saia de casa se extrema necessidade e sempre usando máscara cirúrgica. Não frequente em hipótese alguma, locais com aglomeração como shoppings, igrejas, supermercados;

- Lave as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 40 segundos. Se não houver água e sabão, usar álcool 70%. Evite tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

- Ao tossir ou espirrar, cubra boca e nariz com um lenço de papel e jogue no lixo. Se não tiver lenço, cubra com cotovelo. Nunca as mãos. Coloque uma lixeira com saco de lixo/sacola para jogar fora os lenços de papel e feche. Despreze separadamente do lixo doméstico. Lave as mãos após tossir ou espirrar ou manusear o saco de lixo/sacola;

- Use máscara cirúrgica descartável sempre que estiver em contato outras pessoas que dividem a casa. Troque máscara sempre que úmida;

- Não dividir talheres, copos, alimentos, chimarrão, toalhas com outras pessoas;

- Lavar frequentemente o banheiro da casa com água sanitária;

- Limpar e desinfetar com álcool objetos e superfícies tocados com frequência, como brinquedos e maçanetas;

- Aguarde e esteja atento ao resultado do exame;

- Se novos sintomas, piora ou qualquer dúvida, antes de se dirigir a um serviço de saúde ligue Alô Saúde Floripa (0800 333 3233). 

Não há recomendações específicas para prevenção do COVID-19 para as PVHIV, sendo aplicáveis todas as medidas já recomendadas pelo Ministério da Saúde, como por exemplo:

- Evitar viagens e aglomerações (por ex: academias, shoppings, restaurantes, clubes, boates, igrejas e escolas);

- Higiene frequente das mãos com água e sabão ou álcool (70%).

- Evitar tocar olhos, nariz e boca.

- Evitar contato com pessoas doentes.

- Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar, com o cotovelo flexionado ou um lenço descartável.

- Ficar em casa e evitar contato com pessoas quando estiver doente.

-  Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

- Orienta-se que, pessoas sem sintomas novos mantenham acompanhamento por teleatendimento durante esse período.

- A validade das receitas de antirretrovirais para tratamento foi aumentada para mais 90 dias, mantendo os mesmos medicamentos, sem a necessidade de ir até um serviço de saúde para pegar nova receita.

 

 

 

Definimos como RESTRIÇÃO AO DOMICÍLIO: suspensão da circulação social individual, a não ser nos casos de urgência, como consultas médicas e outras situações de necessidades básicas que não possam ser realizadas remotamente ou com apoio de terceiros.


Quem deve ficar restrito?

- todas as pessoas a partir dos 60 (sessenta) anos de idade.

- todas as pessoas com sintomas respiratórios (tosse, coriza, espirros, dor de garganta, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir) ou febre, até o encerramento dos sintomas;

- todos os pacientes com histórico de doença crônica respiratória ou tuberculose, doenças cardiovasculares, hipertensão e diabetes, mulheres gestantes, puérpera e os pacientes com história de comprometimento imune;

- pessoa que teve contato físico direto (por exemplo, apertando as mãos) com casos suspeitos/confirmados;

-  pessoa que tenha contato direto desprotegido com secreções infecciosas (por exemplo, sendo tossida, tocando tecidos de papel usados com a mão nua);

- pessoa que teve contato frente a frente por 15 (quinze) minutos ou mais e a uma distância inferior a 2 (dois) metros;

- pessoa que esteve em um ambiente fechado (por exemplo, sala de aula, sala de reunião, sala de espera do hospital etc.) por 15 (quinze) minutos ou mais e a uma distância inferior a 2 (dois) metros;

- profissional de saúde ou outra pessoa que cuida diretamente de um caso COVID-19 ou trabalhadores de laboratório que manipulam amostras de um caso COVID-19 sem equipamento de proteção individual recomendado (EPI) ou com uma possível violação do EPI;

- passageiro de uma aeronave sentado no raio de dois assentos (em qualquer direção) de um caso confirmado de COVID-19, seus acompanhantes ou cuidadores e os tripulantes que trabalharam na seção da aeronave em que o caso estava sentado VII - Uma pessoa que reside na mesma casa/ambiente. Devem ser considerados os residentes da mesma casa, colegas de dormitório, creche, alojamento, dentre outros.


- Evitar viagens e qualquer tipo de aglomerações ( shopping, bares, restaurantes, academias, clubes, boates, igrejas etc);

- Sempre que possível, manter-se em casa e fazer atividades de trabalho à distância.

- A duração das receitas para medicamentos de uso contínuo foi prorrogada para 12 meses, para evitar que pacientes sem sintomas tenham que passar em consulta para continuar o tratamento da Asma/ DPOC.

- Caso seja necessária nova receita, entre em contato com sua equipe de saúde através do whatsapp, evitando ir presencialmente até a unidade.

- Profissionais de saúde com Asma/DPOC devem reforçar o uso adequado dos EPI e evitar à exposição à pessoas com sintomas respiratórios. Vale ressaltar que mesmo nesses situações o uso de EPIs de forma apropriada não colocaria o profissional em risco.

- O tratamento da asma deve ser mantido em vigência de infecções virais já que elas são causas frequentes de crises de asma

- A OMS (Organização Mundial da Saúde) não recomenda o uso de corticoides (prednisona/ hidrocortisona /dexametasona) nos casos de pneumonia viral, EXCETO QUANDO OS PACIENTES TAMBEM APRESENTEM EXACERBAÇÃO POR ASMA E DPOC. Nessa situação, o risco-benefício do seu uso, deve ser considerado.

Referências:

1) Comissão de Asma/Sociedade Brasileira de Pneumologia. POSICIONAMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PNEUMOLOGIA E TISIOLOGIA SOBRE O MANUSEIO DA ASMA EM VIGÊNCIA DA PANDEMIA DE CORONAVÍRUS. Publicado 17/03/2020 Acessado 18/03/2020

- A COVID-19 é uma doença provocada pelo Coronavírus.

- O Coronavírus é transmitido por via respiratória e contato próximo com pessoas infectadas.

- Para prevenir o contágio deve-se usar máscara e praticar o distanciamento social.

- Os sintomas comuns são febre, tosse, dor de garganta, nariz escorrendo.

- Caso tenha esses sintomas entre em contato com o Alô Saúde Floripa ou com sua Equipe de Saúde da Família.


·        O que é?

Coronavírus é um vírus transmitido por via respiratória. Ele foi identificado no final de 2019, por isso a doença provocada por ele chama-se COVID-19 (Coronavirus infectious disease 2019).

Deve ser suspeitado de COVID-19 se nos últimos 7 dias apresentou febre ou sensação de febre e um ou mais dos seguintes:

- Tosse (com ou sem catarro) - nova ou contínua, tosse muito ao longo de uma hora ou tem/ teve 3 ou mais episódios nas últimas 24 horas. 

- Dificuldade para respirar

- Dor de Garganta 

- Nariz escorrendo  (criança < 2 meses, considera-se também nariz entupido)

Outros sintomas frequentes são: dor de cabeça, perda da capacidade de sentir cheiros ou sabor, dor no corpo, diarreia, enjoo, vômitos.


·        O que fazer?

- Evitar contato próximo com pessoas com sintomas respiratórios;
- Realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
- Utilizar máscara em ambientes públicos;
- Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
- Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
- Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
- Manter os ambientes bem ventilados;

Até o momento não há vacina para o coronavírus.

. Dúvidas:

1- Tomei a vacina contra a gripe. Estou protegido contra o novo coronavírus?

Não. A vacina da gripe protege somente contra o vírus influenza, que causa a gripe. 

2- Tive um exame positivo. Quando posso voltar ao trabalho?

A sua Equipe de Saúde da Família é a mais indicada para lhe orientar em relação a isso. Você pode ficar afastado do trabalho por 14 dias do início dos sintomas e até melhora dos sintomas.

 

·        Quando procurar o serviço de saúde?

Se tiver os sintomas acima, você pode entrar em contato com o Alô Saúde (0800 333 3233) ou com a sua Equipe de Saúde da Família preferencialmente por Whatsapp ou telefone. 

. Como acompanhar os casos em Florianópolis?

https://covidometrofloripa.com.br/

 

 ·        Referências:

1)    Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis, Gerência de Integração Assistencial, Departamento de Gestão da Clínica. PACK COVID-19: Guia para profissional de saúde da Atenção Primária. 4.ed. Florianópolis, SC: Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis; 2020. Disponível em: bit.ly/packfloripacovid19.

D

- A diarreia é causada por infecção no intestino ou estômago.

- O tratamento pode ser feito em casa com objetivo diminuir a desidratação.

·        O que é?

A diarreia ou os vômitos ocorrem quando o intestino ou o estômago estão irritados por uma infecção

·        O que causa?

Geralmente por contaminação dos alimentos e da água por fezes de outras pessoas. Existem vários micro-organismos que podem causar esses sintomas, dentre eles vírus, bactérias, parasitas. Na maioria dos casos os vírus são causadores.

·        O que fazer?

Na maioria dos casos, por serem causados por vírus, não existe tratamento específico e o organismo irá eliminar o causador entre 1 a 7 dias. É importante, no entanto evitar a desidratação que pode decorrer do quadro.

Quando o doente está com diarreia, o corpo perde mais água e sais minerais, do que recebe. Isto acontece quando a diarreia é abundante e agrava-se se for acompanhada de vômitos.

A perda de água e de sais faz com que: o volume do sangue seja reduzido, o que faz o coração bater mais depressa para compensar; além de diminuir a produção de saliva, urina e de lágrimas; a boca e a língua podem ficar secas; e a pele perder a sua elasticidade. 

 

Sinais de desidratação: é muito importante que todas as pessoas conheçam os sinais de desidratação e o que é preciso fazer para a prevenir e tratar:

 

  • A sede é muitas vezes um dos primeiros sinais de desidratação
  • Pouca ou nenhuma urina
  • Perda súbita de peso
  • Boca seca
  • Nos bebês, fontanela (moleirinha) afundada
  • Olhos secos e encovados
  • Perda de elasticidade da pele (sinal da prega cutânea)
  • Uma criança com desidratação apresenta-se, muitas vezes, agitada e irritada
  • A desidratação grave pode causar pulsação rápida e fraca, respiração rápida e profunda e levar ao choque.

 

Na maioria das vezes a sua doença pode ser tratada adequadamente em casa.

As medidas mais importantes do tratamento da diarreia são: dar muitos líquidos e alimentação adequada. O objetivo do tratamento em casa é evitar a desidratação. Seu filho pode voltar à escola ou à creche quando a diarreia e o vômito melhorarem e ele estiver se sentindo melhor.   

É muito importante dar líquidos. Continuar a dar líquidos, mesmo quando o doente os vomita. Há sempre uma parte do líquido ingerido que fica retido. Dar em pequenos goles a cada 5 ou 10 minutos. Se o doente vomita, esperar 10 minutos antes de lhe dar mais líquidos

ALIMENTAÇÃO

Quando uma pessoa está com diarréia, os alimentos passam mais rapidamente pelo intestino e são muito pouco absorvidos. Por isso, é preciso dar de comer ao doente muitas vezes ao dia, principalmente se este só consegue comer pequenas quantidades de cada vez. Um bebê com diarreia deve continuar a mamar. O leite do peito é o melhor alimento para os bebês. Isso não causa diarreia e ajuda o bebê a melhorar mais depressa.

Salgados: Sopa de arroz ou macarrãozinho, com carne magra ou peito de galinha sal. Arroz ou macarrão, batata, cenoura, chuchu, carne magra de vaca, galinha ou peixe.

Frutas: Banana  cozida, caju, maça sem casca, goiaba sem semente.

Sucos: Limão, caju ou goiaba. ÁGUA DE CÔCO.

Bolachas: Água e sal. Maisena e biscoito de polvilho.

 

Alimentos que devem ser evitados

Doces, refrigerantes, café, álcool, suco em pó, alimentos com muitas fibras e frituras.

Por vezes é preciso diminuir a ingestão de leite e/ou dos seus derivados.


 


 

QUANDO VOCÊ PRECISA PROCURAR O CENTRO DE SAÚDE:

  • A diarreia e o vômito se não melhorarem (entre 3 a 5 dias);
  • Seu filho não aceita soro ou outros líquidos;
  • Se ficar muito sonolento ou letárgico (largado);
  • Se ele parecer desidratado (olhos profundos, moleira funda, boca seca, sem lágrimas quando chora, ficar mais de 8 horas sem urinar);
  • Se aparecer sangue no vômito ou na diarréia ou as fezes ficarem de cor preta;
  • Se tiver muita dor na barriga;
  • Se tiver febre acima de 38,5ºC;
  • Se ele parecer muito doente ou você notar que está piorando
  • Em caso de dúvidas, ligue para o Alo Saúde Floripa 

 

 

FITOTERAPIA (PLANTAS MEDICINAIS) PARA DIARRÉIA

- CHÁS PARA DIARREIA:

ANIS-ESTRELADO, BOLDO, ALFAVACA-ANISADA, MACELA, ERVA-DOCE.

- RECEITAS CASEIRAS:

            - SUCO DE BANANA COM ERVA-DOCE

Ingredientes: 4 bananas nanicas maduras, 2 xícaras de chá de erva-doce gelado, 1 colher de açúcar mascavo

Modo de preparar: bater no liquidificador

Modo de usar: tomar na hora do preparo

 

Tópicos relevantes

  • A dor na parte de baixo das costas (dor lombar) é comum.

  • Na maioria dos casos a causa não é grave e geralmente melhora com o tempo.

  • Ser fisicamente ativo ajuda a evitar a dor lombar e é recomendado na maioria dos casos como parte do tratamento (observe os possíveis sinais de gravidade abaixo).

·        O que é?

Dor lombar é a dor que sentimos na parte de baixo das costas. É o tipo de dor nas costas mais comum e normalmente pode durar de algumas semanas a meses.


·        O que causa?

Na maioria dos casos (85%) não é possível achar uma causa específica. Essa é a chamada dor lombar inespecífica. Algumas outras causas são: distensão muscular, hérnia de disco, fratura da coluna, diminuição do canal da medula espinhal, câncer (raro), infecção, artrite.


·        O que fazer para tratar?

Permaneça fisicamente ativo. Tente fazer exercícios e alongamentos para dor lombar e outras atividades como caminhada, natação, yoga, pilates.

Compressas quentes ou frias podem ajudar a aliviar a dor. Você pode usar garrafas com água quente enroladas ou pacote de comida congelada enrolados em toalha. Observe qual tipo de compressa lhe traz maior alívio. Evitar usar compressas muito quentes que possam provocar queimaduras de pele.

Você pode escolher usar anti-inflamatórios como ibuprofeno. Lembre-se de checar se não tem contraindicação para tomar esse medicamento. Em caso de dúvida, não use

Apesar de ser difícil, é importante tentar pensar positivo a respeito de sua dor e reconhecer que ela pode melhorar. Pessoas que conseguem manter-se otimistas, tendem a ter recuperação mais rápida.

 

. O que fazer para prevenir?

Seja fisicamente ativo fisicamente ativo. Faça exercícios regularmente. É recomendado que adultos façam pelo menos 150 min de exercícios físicos por semana.

Perca peso se estiver acima do peso adequado para você. Estar acima do peso é um fator de risco para dor lombar.

Preste atenção na postura adequada para levantar-se e permanecer sentado.

Evitar ficar sentado ou em pé na mesma posição por muito tempo.

 

·        Quando procurar o serviço de saúde?

Se você teve recentemente um trauma nas costas (batida, acidente automobilístico).

Se você sente fraqueza nas pernas ou formigamento.

Começou a ter dificuldade para segurar a urina ou as fezes.

Teve perda de peso nos últimos meses/semanas.

Teve febre ou sente-se prostrado.

Usa corticoide diariamente.

Tem história de câncer ou osteoporose.

Se a sua dor for tão intensa que não consiga realizar tarefas diárias simples.

Se sua dor não começar a melhorar após 4 semanas.



·        Informativo criado por:

Juliana Nogueira Garcia. Graduada em medicina pela Escola Superior de Ciências da Saúde do Distrito Federal, Médica de Família e Comunidade pela Escola de Saúde Pública de Florianópolis. Responsável pela implantação do Saúde de A a Z.

 

Gabriele Candido Chiodelli. Graduada na Universidade do Estado de Santa Catarina (2008). Mestrado em Ciências do movimento na Universidade do Estado de Santa Catarina (2011). Profissional de Educação Física na Secretária Municipal de Florianópolis. Vídeo disponível em https://www.youtube.com/watch?v=qjbb-8Wj4nQ desde 14/08/2020.

·        Referências:

1.Uptodate. Evaluation of low back pain in adults. <https://www.uptodate.com/contents/evaluation-of-low-back-pain-in-adults?search=back%20pain&source=search_result&selectedTitle=1~150&usage_type=default&display_rank=1#H460846617>. Acesso em: 27 jul 2020.

2. Nederlands Huisartsen Genootschap . Slaapproblemen [Internet].:Thuisarts.nl ; 2018. Disponível em: <https://www.thuisarts.nl/slaapproblemen/ik-slaap-slecht>. Acesso em: 04 mar 2020.

3. BMJ Best practice. Avaliação da dorsalgia. <https://bestpractice.bmj.com/topics/pt-br/189>  Acesso em: 27 jul 2020

4.Dynamed. Acute low back pain. <https://www.dynamedex.com/condition/acute-low-back-pain#GUID-3044034D-DA38-4416-8B94-694CCF9B5598>  Acesso em: 27 jul 2020

5. NHS. Health A to Z. Back pain. <https://www.nhs.uk/conditions/back-pain/>  Acesso em: 27 jul 2020

 


F

 

Orientações sobre Febre

 

A febre significa que a temperatura do corpo está acima do normal.

 A temperatura normal, medida embaixo do braço é de até 37,3ºC.

 A febre é uma forma de o corpo lutar contra uma infecção e não significa uma coisa ruim. Ela tem baixa probabilidade de causar danos e pode ser benéfica.

 A febre está relacionada às defesas naturais do corpo, sendo uma resposta normal (fisiológica) contra a doença que causa a febre, ativa nosso sistema imunológico de defesa.

O grau de temperatura não tem uma relação comprovada com a gravidade da doença que está causando a febre.      

 

Dicas:

- Coloque roupas leves para ficar confortável. Evite agasalhar muito;

 

- Crianças com febre não devem ser despidas ou muito agasalhadas;

 

- Líquidos devem ser oferecidos com freqüência, de acordo com o gosto e a tolerância. A oferta de comida deve respeitar a aceitação natural. Tome bastante líquido evitar a desidratação;


- Banhar o corpo com água morna pode reduzir a temperatura, mas causa mais desconforto do que qualquer benefício. Só está indicada em casos de temperatura acima de 41°C, meia hora depois da administração da medicação. Banhos com álcool misturado à água são contra-indicados;

 

- Medicamentos para baixar a febre não previnem convulsões febris e não devem ser usadas com esse objetivo;

 

- Medicamentos para baixar a febre não devem ser usados com o objetivo de reduzir a temperatura se você ou a criança que está se sentindo bem e ativa. Devem ser usados quanto tiver febre com desconforto físico ou dor;


- Medicamentos para baixar a febre devem sempre ser usados sozinhos, não usar duas medicações juntases juntas  medicaç febre com o por doença.alidade de vida do mesmo, sua produç. Se não melhorar com uma opção, pode se tentar usar outra;

 

- Se você se sentir desconfortável pode usar um medicamento para baixar a febre, prefira o Paracetamol (Tylenol® / Dôrico® / outras marcas) ou a Dipirona (Novalgina® / Anador® / outras marcas - se você ou seu filho não forem alérgicos) (evite usar Ibuprofeno para baixar a febre);

 

- Não use aspirina (AAS®, Melhoral®) para controlar a febre;

Retorne ao Centro de Saúde se:

- A febre continuar por mais de 3 dias e/ou a você ou a criança estiver abatida;

 - Seu filho tiver outros sintomas como dificuldade para respirar, dor no pescoço, vômitos e diarréia sem melhora, inchaço nas juntas ou muita dor que não aliviam com medicação;

 - Seu filho parecer doente, irritado, dormindo demais, parar de brincar ou não aceitar comidas ou bebidas.

 

 

Sinais de gravidade (necessidade de avaliação médica):

 - Idade inferior a três meses, principalmente recém-nascido;

 - Febre maior que 39,4°C em crianças (especialmente se acompanhada de calafrios);

 - Mau estado geral, com cansaço e/ou irritabilidade excessiva, ausência de sorriso;

 - Pele muito pálida ou arroxeada;

 - Choro inconsolável, respiração gemente ou ofegante.

H

- O que é?

 A doença hemorroidária, popularmente conhecida como hemorroidas, é uma inflamação das veias localizadas na região do ânus, podendo estar presente tanto na parte interna quanto externa e causar sintomas como sangramento, dor, coceira, edema, saída de secreção e outros sintomas anais.

 - O que causa?

A principal causa é o esforço evacuatório repetitivo, que altera o funcionamento da musculatura e vascularização anal. Intestino preso, fezes endurecidas, alimentação pobre em fibras, pouca ingesta de água, trauma local, gestação e história familiar são os principais fatores de risco.

 

- O que fazer?

·        Beber mais água.

·        Ingerir mais alimentos ricos em fibras, ver recomendações alimentares.

·        Não forçar para evacuar e não evitar a vontade de defecar. Ir ao banheiro apenas quando tiver vontade.

·        Evitar o uso de papel higiênico, preferir limpeza com água e sabão neutro após cada evacuação.

·        Fazer banhos de assento duas a três vezes ao dia, reduz a pressão na região e ajuda a diminuir a dor.

·        Praticar exercícios físicos regularmente.

·        Pomadas analgésicas e medicações laxativas podem ser usadas sob orientação médica.

·        Babosa (Aloe vera) para alívio da dor. Prepare pedaços do sumo da planta com auxílio de aplicador vaginal ou seringa descartável e insira na região.

 

Recomendações Alimentares

Comer alimentos laxantes, como abacaxi, ameixa, cajá, maçã com casca, mamão (as sementes também), manga, melancia, umbu, acerola, cacau, aveia, farelo de trigo, milho, laranja com bagaço, feijão, lentilha, soja, grão-de-bico, semente de linhaça, abóbora, abobrinha, verduras cruas, arroz integral, pão integral, vagem, pepino, figo, folhas (alface, agrião, repolho), etc.

Diminuir a quantidade de alimentos constipantes: farinhas refinadas, macarrão, pão branco, arroz branco, batata, macaxeira, tapioca, batata-doce, mandioquinha, biscoitos refinados, bolachas com farinha refinada, cuscuz de milho ou arroz

 

- Quando procurar o serviço de saúde?

 

Procurar seu médico de família para fazer uma avaliação do sintoma, se não tiver certeza de que se trata de hemorroidas.

Sangramento, dor ou outro sintoma persistente, mesmo realizando tratamento recomendado.

Se protuberância no ânus estiver muito inchada ou doer muito.

 

 

Informativo criado por: Fidel Cesário de Lima Albuquerque. Graduado em medicina pela UFCG, Médico de Família e Comunidade pela UFPB. Residente em Gestão e Preceptoria pela Escola de Saúde Pública de Florianópolis. Revisado por: Fernanda Melchior. Graduada em medicina pela UFG, Médica de Família e Comunidade pela Escola de Saúde Pública de Florianópolis. Médica da equipe técnica (Departamento de Gestão da Clínica- PMF) responsável pela implantação do  Alô Saúde Floripa.

 

Referências:

1.   Gusso G, Lopes JMC, Dias LC, Tratado de Medicina de Família e Comunidade: princípios, formação e prática. 2. Ed. Porto Alegre: Artmed; 2019.

2.   Thuisarts.nl. Ik heb last van aambeien. Disponível em: https://www.thuisarts.nl/aambeien/ik-heb-last-van-aambeien [Acessado em 7 mar 2020].

3.   Thaha MA, Jayasinghe JD, Steele RJC. Hemorroidas. BMJ Best Practice, 2020. Disponível em: https://bestpractice.bmj.com/topics/pt-br/181 [Acesso em 07 mar 2020]

4.   Bleday R, Breen E. Home and office treatment of symptomatic hemorrhoids. UpToDate, 2019. Disponível em: https://www.uptodate.com/contents/home-and-office-treatment-of-symptomatic-hemorrhoids?search=hemorr%C3%B3idas&source=search_result&selectedTitle=1~150&usage_type=default&display_rank=1 [Acesso em 07 mar 2020]

5.   TelessaúdeRS. TeleCondutas Hemorroidas. TelessaúdeRS/UFRGS, 2018. Disponível em: https://www.ufrgs.br/telessauders/documentos/telecondutas/tc_hemorroidas.pdf [Acesso em: 07 março 2020]

6.   Lorenzi H. Plantas Medicinais no Brasil: Nativas e Exóticas. 2. Ed. Nova Odessa/SP: Instituto Plantarum; 2008.


O

R

Definimos como RESTRIÇÃO AO DOMICÍLIO: suspensão da circulação social individual, a não ser nos casos de urgência, como consultas médicas e outras situações de necessidades básicas que não possam ser realizadas remotamente ou com apoio de terceiros.


Quem deve ficar restrito?

- todas as pessoas a partir dos 60 (sessenta) anos de idade.

- todas as pessoas com sintomas respiratórios (tosse, coriza, espirros, dor de garganta, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir) ou febre, até o encerramento dos sintomas;

- todos os pacientes com histórico de doença crônica respiratória ou tuberculose, doenças cardiovasculares, hipertensão e diabetes, mulheres gestantes, puérpera e os pacientes com história de comprometimento imune;

- pessoa que teve contato físico direto (por exemplo, apertando as mãos) com casos suspeitos/confirmados;

-  pessoa que tenha contato direto desprotegido com secreções infecciosas (por exemplo, sendo tossida, tocando tecidos de papel usados com a mão nua);

- pessoa que teve contato frente a frente por 15 (quinze) minutos ou mais e a uma distância inferior a 2 (dois) metros;

- pessoa que esteve em um ambiente fechado (por exemplo, sala de aula, sala de reunião, sala de espera do hospital etc.) por 15 (quinze) minutos ou mais e a uma distância inferior a 2 (dois) metros;

profissional de saúde ou outra pessoa que cuida diretamente de um caso COVID-19 ou trabalhadores de laboratório que manipulam amostras de um caso COVID-19 sem equipamento de proteção individual recomendado (EPI) ou com uma possível violação do EPI;

passageiro de uma aeronave sentado no raio de dois assentos (em qualquer direção) de um caso confirmado de COVID-19, seus acompanhantes ou cuidadores e os tripulantes que trabalharam na seção da aeronave em que o caso estava sentado VII - Uma pessoa que reside na mesma casa/ambiente. Devem ser considerados os residentes da mesma casa, colegas de dormitório, creche, alojamento, dentre outros.

 

V

Vertigem

Esses exercicios ajudam na vertigem paroxistica benigna, a causa de tontura mais comum. Esses exercícios são para diminuir a sensação de tontura quando se vira a cabeça, levanta ou muda-se de posição.  

Como fazer ? 

Faça 3 vezes por dia diariamente (se possivel).

Reserve cerca de 10 minutos para cada uma das vezes

O ideal é que se faça cerca de 5 vezes ou mais para cada lado

O exercicio só é efetivo se a tontura ocorrer enquanto se pratica.

Se ocorrerem nauseas durante a prática avise seu médico para que uma medicação possa lhe ser oferecida.

Prática

 

1. Sente na beirada da cama, vire sua cabeça levemente para o lado esquerdo ( cerca de 45 graus)  e se deite para o seu lado direito lentamente ( garanta que sua cabeça fique apoiada na cama por cerca de 20-30 segundos ou até que a tontura ceda antes de se sentar. 

2. Sente se com a  cabeça reta , direcionada para frente, espera por 20 – 30 segundos ou até a tontura melhorar antes no proximo movimento

3. Repita o movimento 1 para o outro lado, vire sua cabeça levemente para o lado direito ( cerca de 45 graus) e se deite para o seu lado esquerdo lentamente.

 

Se os exercicios forem feitos regularmente os sintomas comumentes desaparecem a partir do 3-4 dia ou em até uma semana

 

Procure sua equipe de saúde no caso dos sintomas permanecerem ou piorarem. 

 

Notícias

Buscando notícias....

Rede

Uma unidade de atendimento sempre perto de você

Locais de atendimento

Com diversos pontos de atendimento, você estará sempre a um passo de manter sua saúde em dia e obter uma melhor qualidade de vida para você e sua família

Nome Telefone Logradouro

Ainda não possui cadastro? Preencha aqui.
Com seu cadastro você terá acesso ao aplicativo e telefone. Seu acesso será liberado após 48h.

Dados Pessoais
Endereço

Status dos Serviços

  CAPS AD continente 8h-17h
  CAPS AD Ilha 8h-17h
  CAPS Infantil 8h-17h
  CAPS Ponta do Coral 8h - 17h
  CS Alto Ribeirão 08h-14h
  CS Armação 08h-17h
  CS Barra da Lagoa 07h-17h
  CS Cachoeira do Bom Jesus 10h-17h
  CS Caieira 08h-17h
  CS Campeche 07h-17h
  CS Capoeiras 07h-17h
  CS Carianos 07h-17h
  CS Corrego Grande 08h-17h
  CS Costeira do Pirajubaé 07h-19h
  CS Estreito 08h-17h
  CS Fazenda do Rio Tavares 07h-17h
  CS Jardim Atlântico 07h-17h
  CS Joao Paulo 08h-17h
  CS Mont Serrat 08h-17h
  CS Monte Cristo 07h-19h
  CS Morro das Pedras 08h-19h
  CS Novo Continente 07h-17h
  CS Pantanal 08h-17h
  CS Pantâno do Sul 07h-17h
  CS Ponta das Canas 07h-17h
  CS Prainha 08h-16h
  CS Ratones 07h-17h
  CS Saco dos Limões 07h-17h
  CS Santinho 07h-17h
  CS Santo Antonio 07h-17h
  CS Tapera 07h-17h
  CS Vargem Grande 09h-17h
  CS Vargem Pequena 09h-17h
  CS Lagoa da Conceição 07h-17h
  CS Rio Tavares 08h-18h
  Farmácia do Componente Especializado ( Farmácia Escola)
  UPA Continente
  UPA Norte (CS Ingleses)
  CRAS
  CS Abraão 07h-17h
  CS Agronômica 08h-15h
  CS Balneário 07h-17h
  CS Canto da Lagoa 08h-17h
  CS Centro 08h-17h
  CS Costa da Lagoa 08h-14h
  CS Ingleses 07h-19h
  CS Itacorubi 08h-17h
  CS Jurerê 07h-17h
  CS Ribeirão da Ilha 08h-17h
  CS Rio Vermelho 10h-17h
  CS Saco Grande 08h-17h
  CS Sapé 07h-17h
  CS Trindade 08h-17h
  CS Vila Aparecida 07h-17h
  CS Canasvieira 07h-17h
  CS Coqueiros 07h-17h
  POLICLINICA CENTRO
  POLICLINICA CONTINENTE
  CS Coloninha 08h-17h
  POLICLINICA NORTE
  POLICLINICA SUL

Legenda
  • Funcionamento Normal
  • Funcionamento Parcial
  • Funcionamento Interrompido
Fale com a Enfermeira Virtual
Dúvidas sobre o Coronavírus?
Fale com nossa enfermeira virtual.
Fechar chat